Códigos SVG












Kit para engravidar funciona ou não funciona?

Há tempos anúncios sobre kits para engravidar, feitos à base de maca peruana (uma raiz também conhecida como ginseng andino), inundam as redes sociais. Porém, além de não existirem provas de que funcionem, eles ainda podem fazer pessoas que deveriam estar em tratamento para infertilidade perderem um tempo precioso!

Neste artigo, a Dra. Carla Regina Schmitz Vigo, especialista em reprodução humana e diretora da Clínica Effetto, em Caxias do Sul, RS, falou sobre o assunto. Continue a leitura e descubra o quê, de fato, ajuda a engravidar.

O que é o chamado kit para engravidar?

O kit para engravidar é vendido sob a proposta de ser um produto natural. No entanto, não existem trabalhos científicos que mostrem, exatamente, o que ele faz no organismo.

“O grande problema é que muitas pessoas presumem que, se algo é natural, é bom. Porém, existem elementos tóxicos presentes na natureza. Portanto, não é porque algo é natural que, necessariamente, faz bem para a saúde”, esclarece Dra. Carla.

E tem mais: além da maca, outros componentes podem aparecer nas fórmulas desses produtos. Por conta disso, a Food and Drug Administration (FDA), agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, aumentou o controle sobre sua venda nos países.

Uma reportagem divulgada pela BBC apurou que o órgão encontrou Viagra® (remédio usado para disfunção erétil masculina) em uma das formulações do kit para engravidar. Nesse caso, o produto traz risco direto para usuárias, especialmente aquelas com diabetes, doenças cardíacas, colesterol alto e hipertensão.

“O grande problema é que não se sabe, ao certo, o que a maca peruana pode causar. Às vezes, pode ter benefícios, mas, também pode ter malefícios. Nesses casos, são necessários trabalhos científicos sérios”, reforça a especialista.

No Brasil, quem faz esse tipo de regulação é a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Por aqui, a venda da maca peruana sob a alegação de atribuições terapêuticas, com benefícios para a fertilidade, regulação da libido e combate à fadiga, está proibida.

O que pode prejudicar a fertilidade?

“Os principais problemas para a fertilidade são os que acometem os órgãos reprodutores femininos e masculinos”, diz a médica. As causas da infertilidade, aliás, têm chances iguais de serem decorrentes do homem ou da mulher.

No caso das causas femininas, destacam-se os problemas de ovulação (como ovários policísticos), nas trompas uterinas (patologias tubárias) e no útero ou no endométrio (principalmente, a endometriose). Já em relação às causas masculinas, as principais são as alterações nos parâmetros de qualidade do sêmen (quantidade e motilidade dos espermatozoides).”

Como são os tratamentos para infertilidade?

Os tratamentos para a infertilidade têm que ser direcionados, especificamente, para suas causas. Uma vez diagnosticadas, eles podem ser:

“Em certos casos, como endometriose grave e algumas patologias tubárias, pode ser preciso realizar a correção cirúrgica do problema. Nesses quadros, contamos com a assistência de excelentes especialistas", explica Dra. Carla.
 
Para saber mais a respeito dos tratamentos de fertilidade, assista nosso vídeo.
 
Por que não se deve perder tempo com promessas sem comprovação de eficácia?

Quando se trata de fertilidade, principalmente, feminina, o tempo é um fator de risco importantíssimo. Isso porque, o avanço da idade afeta a reserva ovariana, tanto em relação à quantidade como à qualidade dos óvulos. E, como mencionado, os distúrbios ovulatórios estão entre as causas mais comuns de infertilidade.

Assim, recomenda-se que mulheres com menos de 35 anos, que estejam tentando engravidar, sem sucesso, há cerca de um ano, procurem ajuda especializada. Já para as que tem 35 ou mais, essa espera deve ser de, no máximo, seis meses.

A partir do diagnóstico, o médico indicará o tratamento mais adequado. Isso sim ajuda a conseguir o tão sonhado teste positivo! Portanto, não perca tempo com promessas milagrosas, como os tais kits para engravidar. Seja consciente e procure sempre a orientação de um especialista em reprodução humana.

Veja também o vídeo em que a Dra. Carla Regina Schmitz Vigo, especialista em reprodução humana e diretora da Effetto, fala sobre o assunto.

Para conferir conteúdos aprovados por quem atua na área e se manter bem informada, acompanhe as atualizações no blog da Effetto. Além disso, siga nossas redes sociais (InstagramFacebook e YouTube) e fique por dentro de todas as novidades!
 

Inscreva-se em nossa Newsletter

Receba em seu e-mail nossos materiais

Envie-nos sua mensagem

Dúvidas? Entre em contato! Preencha os campos abaixo! Logo retornaremos!

Você precisa aceitar a Política de Privacidade

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Política de Privacidade.

Entendi e Fechar