Códigos SVG












Como funciona?

Varicocelectomia é um procedimento cirúrgico para o tratamento de varicocele. Já a varicocele é a presença de varizes nos vasos testiculares.

Essas veias dilatadas ao redor dos testículos não causam impotência, mas atuam como um fator de estresse oxidativo na formação dos espermatozoides. Na prática, a varicocele prejudica a espermatogênese (processo de formação dos espermatozoides), porque as veias varicosas têm uma maior temperatura do que os vasos normais. Não à toa, os testículos ficam um pouco para fora do corpo. A espermatogênese funciona melhor em uma temperatura 2 a 3 graus mais abaixo da temperatura corpórea.

Para corrigir o problema, existem várias técnicas. “Na Effetto, costumamos dar preferência para a técnica microcirúrgica (microcirurgia), pois seu resultado se mostra superior ao de técnicas abertas”, afirma a Dra. Francieli Maria Vigo, ginecologista especialista em reprodução assistida e diretora da Clínica Effetto, em Caxias do Sul, RS.

 

Como o procedimento é feito?

A varicocelectomia é feita por meio da técnica de microcirurgia subinguinal, uma abordagem segura. Ela apresenta menos de 1% de recidiva e de taxas de complicações.

A análise seminal posterior ao tratamento da varicocele costuma melhorar em mais de 60% dos casos. Muitas vezes, o paciente consegue engravidar a parceira de maneira natural. Em certos casos, porém, é preciso recorrer aos tratamentos de reprodução assistida, como a injeção intracitoplasmática de espermatozoide (ICSI).

 

[Conheça as técnicas de reprodução assistida na aba A Solução – Tratamentos]

 

Para quem o tratamento é indicado? 

O tratamento de varicocele é sempre cirúrgico, mas nem sempre necessário. A Dra. Francieli ressalta que a indicação deve ser bem individualizada. “A varicocelectomia é indicada com base nas alterações notadas no exame físico e mostradas no espermograma, por meio da piora dos padrões seminais.” Assim, a cirurgia costuma ser indicada para:

homens jovens;

com varicolece grau 2 ou 3;

que tenha alteração seminal.

Em varicoceles mais leves ou em casos que não existam alterações importantes no espermograma a indicação para varicocelectomia é discutível. “Obviamente, em casais com problemas de fertilidade, a avaliação em conjunto é que vai indicar a maior ou menor necessidade de tratamento”, destaca a especialista.

A varicocele, geralmente, começa a aparecer na puberdade, por volta dos 12 anos. Segundo os urologistas, trata-se de uma condição de caráter progressivo, que precisa ser acompanhada nos check-ups urológicos de rotina.

Apesar de não aparentar ser grave, a varicocele é a principal causa tratável de infertilidade masculina. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), ela está presente em 15% dos homens, sendo que:

40% deles passarão por casos de infertilidade primária, ou seja, terão dificuldades para ter o primeiro filho;

até 80% enfrentarão o diagnóstico de infertilidade secundária, ou seja, têm filhos, mas não podem mais engravidar devido à perda da qualidade dos espermatozoides.

 

Quais são os benefícios do procedimento?

Após a realização do procedimento, é preciso dar tempo para o organismo do paciente se recuperar. Por isso, os benefícios não são imediatos.

“O auge do benefício da varicocelectomia ocorre, aproximadamente, seis meses após o procedimento. Isso porque, a espermatogênese leva três meses para se completar”, explica Dra. Francieli.

A partir do momento que se retira esse fator de estresse oxidativo do processo de formação dos espermatozoides, é preciso tempo para que uma nova leva de espermatozoides seja formada. Só então é possível avaliar o sucesso da cirurgia.

“Eu costumo dizer que, mesmo que do ponto de vista numérico do espermograma não haja alterações consideráveis, ou seja, não ocorra um aumento na concentração de espermatozoides, a varicocelectomia sempre traz benefícios. Afinal, ela corrige um fator que é prejudicial à produção dos espermatozoides. Então, por mais que o paciente possa continuar produzindo a mesma quantidade de espermatozoides, sua qualidade é definitivamente superior”, conclui a especialista.

 

Atenção: essas informações têm caráter meramente informativo e não substituem uma consulta médica individualizada. Caso precise de orientação, entre em contato com a nossa equipe.

 

Esperamos que o conteúdo tenha contribuído de alguma forma. Para aprofundar ainda mais seus conhecimentos sobre fertilidade e reprodução assistida, siga a Effetto no InstagramFacebook Youtube.

 

Envie-nos sua mensagem

Dúvidas? Entre em contato! Preencha os campos abaixo! Logo retornaremos!

Você precisa aceitar a Política de Privacidade

Outras Soluções

Somos especialistas em gerar novas vidas. Veja a solução que pode se encaixar no seu perfil.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Receba em seu e-mail nossos materiais

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Política de Privacidade.