Códigos SVG












DuoStim: entenda como funciona a dupla estimulação ovariana

A medicina reprodutiva está tentando, constantemente, melhorar as taxas de sucesso de gestação por meio de novas tecnologias e novos protocolos. O DuoStim é uma dessas alternativas. Na Effetto, ele já faz parte da rotina e está trazendo melhores respostas aos estímulos ovarianos — quando indicado.

Neste artigo, a Dra. Carla Schmitz Vigo, especialista em reprodução assistida e diretora da clínica, falou sobre as indicações e vantagens do procedimento. Para conhecê-lo, continue a leitura!


O que é o DuoStim?


DuoStim ou dupla estimulação consiste na realização de duas estimulações foliculares, seguidas de duas coletas de óvulos, em fases diferentes do mesmo ciclo menstrual. “Na verdade, o DuoStim nada mais é do que realizar um segundo tratamento de fertilização in vitro, o qual se inicia cinco dias depois da punção dos óvulos do primeiro", explica a médica.

Assim, o objetivo é utilizar duas fases distintas de formação de óvulos. Por isso, uma coleta de óvulos ocorre na fase folicular, que é a primeira, e outra coleta ocorre na fase lútea, em um segundo momento.

Esse protocolo vai ao encontro das evidências atuais que mostram que o desenvolvimento folicular se dá em diferentes etapas do ciclo menstrual. Essa constatação superou o dogma anterior, no qual se acreditava que os folículos cresciam apenas na fase folicular.

"O DuoStim é feito para aproveitar mais do que uma 'onda' de óvulos a cada ciclo menstrual. Por meio dessa técnica, pode-se aproveitar uma segunda 'onda' de óvulos provenientes de um mesmo estímulo", completa.
Como são as taxas de sucesso do protocolo?

“A literatura científica tem mostrado resultados muito promissores com essa técnica e a nossa experiência aqui na Effetto não é diferente. Isso porque, a segunda onda de estímulo está proporcionando não somente uma quantidade maior de óvulos, mas, mais importante do que isso, óvulos com qualidade superior, os quais dão origem a embriões também de qualidade superior e, com isso, aumentam as chances de as pacientes conseguirem engravidar”, destaca Dra. Carla.

Na clínica, há excelentes resultados decorrentes do DuoStim. "Por isso, somos entusiastas desse tratamento. Porém, é importante ressaltar que ele demanda mais tempo da paciente, pois ela terá que se submeter a um segundo tratamento, logo após o primeiro. Mesmo assim, nossa experiência mostra que a espera vale a pena", complementa.


Para quem a técnica de dupla estimulação é indicada?


O DuoStim é indicado para mulheres com baixa reserva ovariana. São elas as mais favorecidas por esse protocolo. É o caso de pacientes:


- com idade reprodutiva avançada ou baixa reserva ovariana devido a outros fatores;
- que tiveram má resposta às estimulações ovarianas realizadas anteriormente;
- que serão submetidas a algum tratamento (para o câncer ou outra doença) que poderá comprometer sua fertilidade.
  

Para saber mais, assista este vídeo!
 

Esse protocolo já faz parte da fertilização in vitro?


Sim, a implementação do DuoStim na fertilização in vitro (FIV) tem se mostrado cada vez mais comum. Isso porque, ele permite um manejo mais eficiente de pacientes com histórico de mau prognóstico em tratamentos com FIV.

Assim, se existirem poucos óvulos maduros em uma primeira punção, o DuoStim é uma possibilidade altamente recomendada. Mas para isso, o uso de gonadotrofinas para estimular o crescimento dos folículos antrais passou a ser feito em dois momentos, no mesmo ciclo menstrual.

A paciente que opta por fazer o DuoStim precisa, necessariamente, fazer a criopreservação dos seus embriões. Isso porque, na data em que a transferência seria realizada, o novo tratamento está sendo iniciado.


Por isso, no DuoStim os embriões têm que ser, necessariamente, congelados — o que não traz nenhum prejuízo. Na verdade, essa estratégia é vista como capaz de melhorar as taxas de gravidez!


Existe contraindicação para o DuoStim?


Não existe contraindicação para o DuoStim. A única diferença em relação à fertilização in vitro convencional, como já explicado, é a segunda estimulação, feita cinco dias após a primeira coleta de óvulos.


Devido a dificuldade de otimizar a produção de oócitos em pacientes que respondem mal ao estímulo ovariano, estão surgindo novos protocolos de estimulações não convencionais — entre eles, o DuoStim. Até o momento, não há nenhuma evidência que questione sua segurança ou eficiência, tanto que ele vem sendo considerado a estratégia mais promissora para tratar pacientes com mau prognóstico na fertilização in vitro.
 

Onde realizar o DuoStim em Caxias do Sul?


O método DuoStim é realizado em centros de referência em reprodução assistida. Em Caxias do Sul, RS, ele pode ser feito na Clínica Effetto, com o objetivo de otimizar as chances de sucesso nos tratamentos. Portanto, se você trabalha e/ou reside na região e está enfrentando dificuldades para engravidar, converse com a nossa equipe a respeito desse protocolo promissor!


Gostou do conteúdo? Então, continue acompanhando nosso blog para conhecer mais sobre nossos tratamentos e metodologias.


Além disso, aproveite para seguir nossas redes sociais e confira diversas dicas! Estamos no Facebook, Instagram e Youtube!
 

Inscreva-se em nossa Newsletter

Receba em seu e-mail nossos materiais

Envie-nos sua mensagem

Dúvidas? Entre em contato! Preencha os campos abaixo! Logo retornaremos!

Você precisa aceitar a Política de Privacidade

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Política de Privacidade.

Entendi e Fechar